segunda-feira, 31 de agosto de 2009

38 ANOS DO CONJUNTO JARDIM ESPERANÇA

Entrada Principal do Conjunto Jardim Esperança.
Foto: José de Oliveira B. Filho.


Praça da entrada principal do Conjunto Jardim Esperança.
Foto: José de Oliveira B. Filho.

Unidades de Qualificação e Produção - FUNDAT.
Foto: José de Oliveira B. Filho.




Paróquia São Francisco de Assis.
Foto: José de Oliveira B. Filho.



Cavalos pastando no local onde um dia será construída a Praça Principal do Conjunto Jardim Esperança.
Foto: José de Oliveira B. Filho.




Inauguração do Conjunto Jardim Esperança.
Jornal Gazeta de Sergipe nr. 4.528 - 04/09/1971.




As primeiras casas do Conjunto Jardim Esperança.
Jornal Gazeta de Sergipe nr. 4.508 - 12/08/1971.




Favela - antigo Mercado Central.
Arquivo Público da Cidade de Aracaju.



Favela ao redor do antigo Mercado Central.
Jornal Gazeta de Sergipe nr. 4.509 - 13/08/1971.






O Conjunto Jardim Esperança completará 38 anos de inaugurado no próximo dia 03/09 (quinta-feira). A sua construção teve início na administração do então Prefeito de Aracaju Aloísio Campos, cujo slogan era “Trabalho com Planejamento”. Foi idealizado para abrigar as famílias que habitavam a antiga Estação de Trem da Leste, as favelas ao redor do antigo Mercado Central e de localidades como o Bairro Siqueira Campos e o Japãozinho.
O trabalho foi iniciado com um levantamento das condições sócio econômicas das oitocentas famílias de favelados, sendo as casas construídas através de um Convênio entre a Prefeitura Municipal de Aracaju e a Sudene, dentro de um Projeto de Desfavelamento e do Programa Experimental da Habitação Popular. No Projeto estava previsto a urbanização das áreas adjacentes aos mercados centrais e a construção de um Conjunto residencial com 304 casas (sendo 136 na 1ª etapa), para os favelados. Era previsto também a construção de um Posto Médico, Escola Primária, Centro de Treinamento, Cooperativa Artesanal, Quadra de Esporte, Abrigos para passageiros de coletivos, Igreja e uma área verde que totalizava 28.712 m². A obra contou também com recursos do Acordo USAID (sigla da United States Agency for International Development, que atuou com grande intensidade no Brasil, durante a Ditadura Militar). O sorteio das chaves das 136 casas foi transmitido às 20h30min do dia 20/ 08/1971, pela TV Sergipe. Já a 2ª etapa do Conjunto foi destinada aos Militares do Corpo de Bombeiros, contando com cerca de 600 famílias e as escrituras foram entregues após 11 anos pela Sudene.
A inauguração ocorreu no dia 03/09/1971, já na gestão do Prefeito da Capital Cleovansóstenes Pereira de Aguiar. Além do Prefeito, outras Autoridades estiveram presentes, como o Governador do Estado Paulo Barreto de Menezes, o Comandante do 28º BC, Coronel João Neiva de Melo, o Presidente da Assembléia Legislativa, Helber Ribeiro e o Presidente da Câmara de Vereadores, Rosalvo Silva. Com o passar dos anos, outros conjuntos foram sendo construídos na vizinhança do Jardim Esperança, a exemplo do Inácio Barbosa, Beira Rio e o Parque dos Coqueiros.
Segundo antigos moradores, o Conjunto Jardim Esperança ficou por muito tempo marginalizado, isto porque, as pessoas de outras localidades não viam com bons olhos os moradores. Pensavam que a maioria era constituída de pobres e marginais. Comentam até que, quando da construção do Inácio Barbosa, um muro fora construído para separar os dois Conjuntos, constituindo-se assim, em uma espécie de “Apartheid”.
Atualmente o Jardim Esperança é um local próspero, com relativa segurança e muito agradável de viver. Localizado entre conjuntos valorizados pelo Mercado Imobiliário, próximo de Hipermercados, Shopping, Hospital, Colégios e do Terminal do DIA. Mas nem tudo são flores. Como todo Conjunto Habitacional tem lá os seus problemas. Dentre eles, o que mais incomoda os moradores, é o local onde deveria ser construída a Praça principal do Conjunto, digamos assim, o Cartão Postal do Bairro. Vários prefeitos já prometeram a sua construção e até agora nada. Deputados e Vereadores já fizeram até alguns abaixo-assinados e nada foi adiante. Por último o atual Prefeito, que na Campanha Eleitoral bradou para todos os moradores, que a Praça do Jardim Esperança tinha dia para começar: 09/03/2009, e até o momento não foi iniciada a sua construção. O terreno onde um dia será construído a tal Praça, serve para pasto de cavalos, montagem de pequenos circos e para uma feirinha de produtos importados. Dizem as más línguas, que esta Praça já foi construída várias vezes, porém, somente no papel. Quem sabe, será quando o Conjunto completar 40 anos? Vamos esperar para ver!
Parabéns ao Conjunto Jardim Esperança.


José de Oliveira Brito Filho

Nenhum comentário: