quarta-feira, 29 de julho de 2009

PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO

RESIDÊNCIA NA RUA PROPRIÁ



ANTES
Foto: José de Oliveira B. Filho.




DEPOIS
Foto: José de Oliveira B. Filho.


RESIDÊNCIA DO ALMIRANTE AMINTAS JORGE - PRAÇA TOBIAS BARRETO



ANTES
Jornal Gazeta de Sergipe nr. 5.480 - 15/07/1976.



DEPOIS

Foto: José de Oliveira B. Filho.



RESIDÊNCIA NA RUA PACATUBA ESQUINA COM RUA BOQUIM


ANTES
CHAVES, Rubens Sabino Ribeiro. Aracaju pra onde você vai? Aracaju: Edição do Autor, 2004.



DEPOIS
Foto: José de Oliveira B. Filho.




IMÓVEL ONDE FUNCIONOU A CLÍNICA DE DR. HIDER GURGEL - AV. IVO DO PRADO.



ANTES
Foto: José de Oliveira Brito Filho.



DEPOIS
Foto: José de Oliveira B. Filho.



RESIDÊNCIA DO DR. AUGUSTO LEITE



ANTES
Jornal Gazeta de Sergipe nr. 8.618 - 03/08/1987.



DEPOIS
Foto: José de Oliveira B. Filho




PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO



Assistindo a um programa de TV que é apresentado aos sábados à tarde, algo me chamou atenção. No tal programa, existe um quadro que é o de reformar completamente a casa de alguém que escreveu a sua história de vida e teve a sua carta escolhida. Pois bem, quando o arquiteto responsável foi detalhar como seria a reforma da casa, ele fez uma observação muito importante: como a casa tinha sido construída na década de 30, e existindo uma Lei Municipal na Cidade do Rio de Janeiro, que vem a colaborar com a preservação de imóveis antigos, a fachada teria que ser preservada.
O restante do imóvel seria modificado, digamos, dentro dos moldes da Arquitetura Moderna. E foi exatamente esse ponto, o de preservar a antiga fachada, que me incentivou a escrever este artigo. Como sou um apaixonado por imóveis antigos, desde 2007 venho realizando um trabalho um pouco especial, que é o de fotografar imóveis antigos de Aracaju, tomando-se como base o Centro Histórico até os limites da Avenida Augusto Maynard (sul), a Avenida Pedro Calazans (oeste) e o bairro Santo Antônio (norte). Fotografo os imóveis como forma de preservação do Patrimônio Arquitetônico e da História de nossa Cidade e para uma futura comparação.
Algumas vezes fotografo um imóvel e poucas semanas depois ao passar pelo mesmo local constato que o imóvel não existe mais, fora demolido. Essas atitudes fizeram com que eu iniciasse um novo trabalho que eu classifico como “O antes e o depois”, ou seja, tenho a foto do imóvel como ele era originalmente e fotografo o imóvel recém construído. Utilizo estas fotos em minhas aulas e através do Blog www.aracajuantigga.blogspot.com, para mostrar aos alunos e pessoas que tenham interesse nesse assunto, como era a aparência dos imóveis de Aracaju.
Infelizmente os proprietários desses imóveis ou quem os compra, não se preocupam com a preservação da História, da Memória e do Patrimônio Arquitetônico da Cidade. Os Poderes Públicos também não agem para impedir que isto aconteça, mesmo porque, quem faz a demolição de um imóvel antigo geralmente o faz na calada da noite ou nos fins de semana, com o objetivo de não chamar a atenção dos fiscais da Prefeitura ou de órgãos de Preservação do Patrimônio. Desta forma, impede que alguém formalize uma ação civil pública contra uma possível demolição de um imóvel antigo.
Perdas como a residência do Dr. Augusto Leite na Av. Barão de Maruim, onde hoje se encontra uma Agência da Caixa Econômica Federal, o Cinema Rio Branco (Graças a Deus preservaram a fachada), a loja INCAL na Rua São Cristóvão, dentre outras, são irreparáveis. Recentemente tivemos a perda de dois imóveis antigos: o primeiro situava-se na Avenida Ivo do Prado, vizinho ao prédio do INSS, onde funcionou a clínica de Dr. Hider Gurgel, e o outro na Rua Propriá entre a Rua Lagarto e o Parque Teófilo Dantas. Felizmente eu os fotografei antes de serem demolidos. A pretensão deste artigo também é de conscientizar os proprietários de imóveis antigos ou futuros compradores destes, da necessidade de preservação de nossa história.



Parte do Artigo publicado no Jornal CINFORM Edição 1372 - 27/07 a 02 de agosto de 2009.



José de Oliveira B. Filho

6 comentários:

Dedinha Ramos disse...

Também lamento pela demolição dos imóveis antigos em Aracaju, fico revoltada quando vejo que derrubaram fachadas antigas e em saber que aqui em Aracaju as pessoas não preservam parte da história.

Hélio Bertolucci Jr. disse...

Prezado Prof.,
Muito bacana seu trabalho. Pelo visto não é somente a cidade de São Paulo que está acabando com sua história.
Uma pena que Aracajú, seus dirigentes não preservem sua história arquitetônica.
Bem, comecei a fazer um trabalho de registro do que ainda temos por aqui. Claro, é um trabalho que não conseguirei cobrir toda a cidade de São Paulo que é gigantesca, mas vou fazendo (rs).

Meu blog é: Chega de Demolir S!P

www.chega-de-demolir.blogspot.com

Estou linkando seu trabalho também. Abraços

Dedinha Ramos disse...

Oi professor, você se lembra de uma residência que ficava na esquina do Salesiano?
Eu passava para trabalhar todos os dias e pensava: se eu ganhar na loto vou comprar essa casa mando reformar, conservando a mesma arquitetura e vai ficar belíssima!
Meses depois, quando passei e vi a casa demolida, quase chorei de tristeza. Como alguém poderia ter o mal gosto de derrubar aquele prédio tão lindo?!

signals3_t5 disse...

Também lamento pela demolição dos imóveis antigos em Aracaju, fico revoltada quando vejo que derrubaram fachadas antigas e em saber que aqui em Aracaju as pessoas não preservam parte da história.

Get More Details

Alessandro disse...

Eu entendo como 'demolição' também as publicidades das lojas no centro da cidade que cobrem as fachadas do centro. Uma poluição visual infernal! E sobre a fachada do cine rio branco, preservaram-na, entretanto, aquele banner gigante com o nome da infame loja não nos deixa ver - ou pelo menos percebê-la no corre-corre do cotidiano. Pra resumir, é tudo uma pura falta de educação.

brandao acacia disse...

So em 2012 vi 4 casas serem demolidas. a casa dos Vila Nova de Carvalho na rua Itabaiana, uma casa da av Barao de Maruim no trecho antes da praça Camerino, outra casa na esquina de Boquim com Itabaiana, Uma casa na av Ivo do Prado depois do colegio Brasilia. Pelo que ando observando, as casas que compoem a arquitetura aracajuana estao sendo demolidas pois seus proprietarios temem serem tombadas. Lamento tanto, pois recebi a visita de uma pessoa que se interessa por art decor no mundo, defende e promove a visita a cidades como a nossa, ficou impressionado com o nosso patrimonio e pretende trazer visitantes para nossa cidade para apreciar as sobreviventes. Percebi que muitos imoveis sao utilizados por Partidos politicos, clinicas, escritorios de advocacia que por enquanto estao mantendo a edificação na sua originalidade.