segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

ESTACIONAR É PRECISO, PRESERVAR NÃO É PRECISO?.


Antes - Residência/Clínica Pediátrica - Avenida Ivo do Prado.
Foto: José de Oliveira B. Filho.




Depois - Terreno.
Foto: José de Oliveira B. Filho.




Antes - Centro Operário Sergipano
Rua Geru esquina com Rua Santo Amaro.
Almanack de Sergipe -1934 nº 05.



Depois - Estacionamento.
Foto: José de Oliveira B. Filho.




Antes - Residência - Rua São Cristóvão esquina com Rua Itabaianinha.
Porto, Fernando de Figueiredo. Alguns nomes antigos do Aracaju. Aracaju: Gráfica Editora J. Andrade Ltda., 2003.




Depois - Estacionamento.
Foto: José de Oliveira B. Filho.




Antes - Imóveis na Rua São Cristóvão.
Foto: José de Oliveira B. Filho.




Depois - Estacionamento.
Foto: José de Oliveira B. Filho.




Antes - Imóvel na Rua São Cristóvão.
Foto: José de Oliveira B. Filho.




Depois - Terreno pronto para construção de mais um possível estacionamento.
Foto: José de Oliveira B. Filho.




Antes - Imóvel belíssimo na Rua Propriá.
Foto: José de Oliveira B. Filho.





Depois - Estacionamento.
Foto: José de Oliveira B. Filho.




O povo brasileiro está vivendo uma nova fase em sua vida, principalmente no que se refere a economia. Nunca na história deste país tantos carros foram fabricados e vendidos, embora muitos compradores estejam endividados e sem poder pagar as prestações. Com isso, as ruas foram tomadas por uma avalanche de automóveis. E aí, particularmente falando da cidade de Aracaju, onde estacionar? Como saída para esta crise de vagas, muitos imóveis antigos estão sendo demolidos na calada da noite e nos fins de semana (onde não existe fiscalização alguma por parte das autoridades competentes), e os terrenos transformados em estacionamentos. Infelizmente aos poucos a nossa história vai desaparecendo, porque através destas casas antigas podemos perceber como era a nossa sociedade. Estacionar é preciso, preservar não é preciso?

3 comentários:

Anônimo disse...

É triste como o Brasileiro(em particular o Sergipano),não tem memória e não faz questão de preservar seus imoveis históricos,que faz muito sentido para quem viveu ou deseja relembrar fatos históricos de sergipe!...

eliza disse...

Encontrei com você hoje no Instituto de pesquisa e adorei a ajuda que me deu. Sou estudante de arquitetura e fico triste e revoltada com tamanha estupidez. Quando pesquisamos sobre as ruas e os bairros antigos de Aracaju observamos o quanto a historia está se perdendo por conta da falta de conservação.

milton disse...

Eu mesmo vejo com uma boa dose de indignação de muitos imóveis dar vaga a progresso e ao moderno. Até hj me lembro do hotel Marozzi na rua João pessoa e q o pedesttre em baixo via os sapatos do hóspede naquelas janelas gradeadas chamadas de sacadas e perto da estação rodoviária velha tinha um hotel chamado de CASARÃO numa arquitetura clássica e q deu vaga ao moderno. É triste e muito triste. Aracaju hj ñ é mais aquele Aracaju de ontem. Está com inveja de RJ e SP.