sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

LA CONGA: O CRIME QUE CHOCOU A POPULAÇÃO DE ARACAJU


La Conga.
Revista da Associação Sergipana de Imprensa nr. 06 - 1961.


Diariamente somos surpreendidos com notícias sobre a violência no Estado de Sergipe e em particular na cidade de Aracaju, veinculadas através dos meios de comunicação. Aracaju que já foi considerada uma cidade tranquila, torna-se cada dia mais parecida com as grandes capitais do Brasil. Na década de 60, como eram poucos os casos de violência em Aracaju, o assassinato de um menor chocou a população aracajuana:


O Caso La Conga


No dia 1º de maio de 1961, Antonio F. de Macedo, (Ex-Cabo do Corpo de Bombeiros e sapateiro) conhecido por La Conga, com a ajuda de sua companheira Edite M. de Jesus, assassinou o menor Carlos Werneck e enterrou o corpo em um areal nas proximidades do atual Instituto de Educação Rui Barbosa.
Segundo os Jornais da época, o crime chocou a população aracajuana e foi motivado por desentendimentos entre Antonio F. de Macedo (La Conga) e o pai de Carlos Wernek.
O corpo foi achado em adiantado estado de putrefação por pessoas que retiravam areia do local. Ao se depararem com o mesmo, procuraram as autoridades policiais. A Polícia e o Corpo de Bombeiros do Município procederam a retirada do corpo e chegaram a conclusão de que se tratava do menor Carlos Werneck. Segundo relatos, La Conga e sua companheira atraíram o menor para o quintal de sua residência, na Rua Santa Catarina - Bairro Siqueira Campos, lá taparam a boca do menor, deram uma cacetada e logo após o estrangularam. Inicialmente o corpo foi escondido em um armário e somente altas horas da madrugada é que foi levado para o areal, enrolado em uma esteira, e logo após enterrado.
La Conga, que trabalhava como sapateiro, teve o cuidado de passar uma tinta no objeto que deferiu o golpe na cabeça do menor. Com o passar do tempo, durante as investigações, foram encontradas manchas de sangue no armário e uma baleadeira que pertencia ao menor. Com estas provas, a Polícia não teve dúvidas da autoria do crime.
A solução do crime e a condenação dos criminosos, foi acompanhada pela população de Aracaju, através de jornais e do rádio que transmitiu o julgamento. Um dos programas de rádio foi o Calendário, da Rádio Liberdade, que era apresentado pelo locutor Santos Mendonça.
La Conga não era réu primário e foi condenado a 30 anos de reclusão e sua companheira a 21 anos.


La Conga faleceu em casa, vítima de um ataque cardíaco no ano de 1976, conforme noticiou o Jornal Gazeta de Sergipe nr. 5.412 de 23/04/1976.

Em 2008, na 8ª edição do Curta-SE - Festival Ibero-Americano de Curtas-Metragens de Sergipe, foi apresentado um Documentário cujo título era : Você Conhece La Conga?, de Sérgio Borges, que narra relatos de parentes da vítima e de pessoas que acompanharam o caso.





Fontes: Jornal Gazeta de Sergipe nr. 1019 - 17/07/1961.


Jornal Gazeta de Sergipe nr. 1020 - 19/07/1961.


Revista da Associação Sergipana de Imprensa nr. 06 -1961.

17 comentários:

Anônimo disse...

Muito boa a publicação, fato histórico marcante em Aracaju, mas como sugestão para próxima, gostaria que pudesse ser narrado o caso Saia Justa, Tenente Aragão e "Galo Preto".

Um abraço

オテモヤン disse...

オナニー
逆援助
SEX
フェラチオ
ソープ
逆援助
出張ホスト
手コキ
おっぱい
フェラチオ
中出し
セックス
デリヘル
包茎
逆援
性欲

Diego Couto disse...

Muito bom o blog. Parabéns!!! Irei segui-lo prontamente.

Anônimo disse...

me lembro do filme muito intrigante a historia... parabens pelo blog

Mentes Assassinas, até onde eles podem ir ? disse...

Olá boa noite estou aqui para parabenizar o BLOG e dizer que gostei muito da matéria de LACONGA, estou fazendo minha monografia a respeito de crimes barbaros e não conhecia esse caso, ficou muito bem esclarecido e acho bom a explanação desse caso e de todos os casos de crimes cruéis.
Eu tenho um BLOG que relata a história de crimes barbaros, criminosos cruéis e sem qualquer tipo de piedade (Serial Killer e Psicopatas) e quem tiver interessado é só entrar no BLOG, espero comentários e sugestões, é uma maneira de mostrar aos nossos leitores como o perigo pode estar em qualquer lugar, como esse caso de Laconga que foi aqui na nossa pacata Aracaju.
Com relação as personalidades também acho importante essa explanação pois temos grandes nomes em nosso estado que precisam ser lembrados sempre é muito importante para a mostrar a cultura e as personalidades do nosso encantador estado.

Parabéns e muito sucesso para vocês, espero que possamos fazer uma parceria dos nossos BLOGs e quem sabe assim divulgarmos os nossos trabalhos juntos.

Obrigada.

Alidiney Aguiar Borges, estudante de Direito.

Aracaju -SE.

Dedinha Ramos disse...

Eu não sabia desse caso! Muito interessante e triste, e logo no Siqueira!

Anônimo disse...

Agradeço por vocês rélembrar desse crime tão veiculado na época.tinha apenas 10 anos e hoje meio século depois senti como estivesse acompanhando em tempo real.e o desfecho da vida de lá conga gostei da matéria apesar de muito triste . Obrigado .Evaldo

Swelem disse...

É incrívelmente chocante.
Na semana do caso Lavínia, minha vó comentou comigo sobre esse caso,ela presenciou tudo e conhecia ele, fiquei facinada e cofeço que com um pouco de medo. Parabéns pessoal, fizeram um belo trabalho!!
Swelem

Anônimo disse...

Meus caros, adorei esse blog, nunca vi algo tão legal como esse... sou fascinado por coisas antigas, é como se eu tivesse vivido tudo isso... muitas coisas que sei é pq minha avó me falou... tenho 30 anos, mas conheço como era Aracaju antigamente como se tivesse vivido, uma vez que por adorar saber como tudo era antigamente, minha avó me conta e reconta tudo nos mínimos detalhes... esse caso La conga é conhecidíssimo, eu já conhecia esse caso, minha mãe mesmo qdo via La conga passar pelo Santo Antonio morria de medo dele... além disso, soube que um pé de fruta no quintal da casa dele murchou totalmente, morreu, logo que ele matou a criança, algo que ouvi dos mais velhos, mas não vi aki.... parabéns pelo ótimo trabalho! Muito bom esse blog! Está de parab´nes mesmo.. vou mostrar a minha avó, ela vai adorar! Ah... gostaria de resgatar a história do do famoso médico Carlos Firpo. Abraços! Fabio Mota (mota_cefara@hotmail.com)

milton disse...

O menino Carlos Verneck com 11 anos já era rebelde. A imprensa nunca divulga o certo com razão, p,ra o povão julgar, de forma ingênua, o certo é quem está errado e vice-versa. Era um tempo de uma Aracaju sem carro nas ruas e as pessoas se conheciam umas as outras. Meninos brincava de futebol nas ruas, carro não tinha. La Conga como era sapateiro, pintava os sapatos e botava nas janelas p,ra secar. O menino p,ra esculhambar e tesar, chutava a bola em direção aos sapatos, derrubando-os, isso era uma constante. Q fez LaConga? Procurou solucionar uma infernália q eu faço o mesmo e La onga estava com razão. Só q a imprensa meteu o pau em La Conga e o povão acompanhou a imprensa. Só isso. Eu dou razão a La Conga.

Anônimo disse...

O menino Carlos Verneck com 11 anos já era rebelde. A imprensa nunca divulga o certo com razão, p,ra o povão julgar, de forma ingênua, o certo é quem está errado e vice-versa. Era um tempo de uma Aracaju sem carro nas ruas e as pessoas se conheciam umas as outras. Meninos brincava de futebol nas ruas, carro não tinha. La Conga como era sapateiro, pintava os sapatos e botava nas janelas p,ra secar. O menino p,ra esculhambar e tesar, chutava a bola em direção aos sapatos, derrubando-os, isso era uma constante. Q fez LaConga? Procurou solucionar uma infernália q eu faço o mesmo e La onga estava com razão. Só q a imprensa meteu o pau em La Conga e o povão acompanhou a imprensa. Só isso. Eu dou razão a La Conga.

Wilson SAntos disse...

Como podemos ver,esse crime foi descoberto.E muitos outros,que acabaram na escuridão dos mistérios,que por lonjura do tempo,jamais serão descobertos,porque ouve cobertura ou por falta de interesse?!

Anônimo disse...

Olá, eu sou de teresópolis, mas minha avó, que nós conhecemos como maria terezinha de jesus, veio de aracaju, segundo relatos dela, quando veio de sergipe tinha assassinado seu marido, pois este batia muito nela. Não temos contato com ninguém da família dela. Nem sabemos se este é de fato o nome dela. Ela já faleceu faz 37 anos, hoje teria 75 anos em média.. Gostaria muito que de ter informações que nos leve a origem dela. Qualquer informação. Obrigada..

Alessandra Lima De Oliveira disse...

Certíssimo

Augusto Silva disse...

Mesmo naquela época a justiça já era uma desgraça, o sujeito não era reu primário mas, mesmo assim na cumpriu toda a pena.

Eduardo Almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Boa noite eu to procurando uma matéria de uma vó do meu esposo, ele perdeu o contato com os familiares da parte da mãe. Ele tinha mais ou menos 7 anos quando sua vó foi degolada em um sítio o nome dela é Maria Senhora dos Passos. Meu esposo hj tem 41 anos e ele não lembra o nome do bairro so sabe que os familiares são de Sergipe Aracaju. Quem tiver informações sobre esse caso entre en contato comigo. Grata. email Lutorcato@hotmail.com